Play Store começa a banir apps de venda de maconha no Android

1 min de leitura
Imagem de: Play Store começa a banir apps de venda de maconha no Android
Avatar do autor

A Google atualizou suas diretrizes na Play Store e agora vai banir aplicativos que vendem maconha diretamente em sua loja. Segundo o Android Police, as empresas que comercializam e entregam erva utilizando os serviços do Android estão indo contra as políticas de conteúdo da plataforma e podem ter seu app retirado do ar.

De acordo com a Google, outro problema que pode acarretar em banimento são aplicativos que servem para marcar encontros para compra e venda de drogas, ou que "facilitem" o comércio de produtos com THC, a principal substância psicoativa das plantas do gênero cannabis.

Imagem: Eaze

Retrocesso

A Eaze, uma das companhias afetadas pela mudança, lançou um comunicado dizendo que a decisão da Google é um retrocesso para quem trabalha legalmente com maconha. A empresa atua dentro da lei nos Estados Unidos e comercializa a erva para uso recreativo e medicinal.

"A decisão do Google é um desenvolvimento decepcionante que só ajuda o mercado ilegal a prosperar", disse a empresa. "Estamos confiantes de que o Google, a Apple e o Facebook acabarão por fazer a coisa certa e permitir que as empresas de cannabis legais façam negócios em suas plataformas".

Ontem, a Google comentou que as empresas que vendem cannabis no Android podem evitar o banimento ao retirarem mecanismos como carrinho de compras do aplicativo, fazendo a transação em um site externo.

"Esses aplicativos simplesmente precisam mover o fluxo do carrinho de compras para fora do próprio app para ficarem dentro da nova política", explicou a dona do Android. "Estamos em contato com muitos dos desenvolvedores e trabalhando para responder a quaisquer dúvidas técnicas e ajudá-los a implementar as alterações sem incomodar os clientes", concluiu.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Play Store começa a banir apps de venda de maconha no Android