Os últimos três anos têm sido difíceis para a Samsung na China, pólo de smartphones mundial que é dominado pelas concorrentes Xiaomi e Huawei. Embora a Sammy ainda continue atrás das duas no país, ela pelo menos voltou a ter boas vendas entre janeiro e março deste ano. A grande razão para isso é o Galaxy S10.

Segundo a firma de pesquisa de mercado Strategy Analytics, foram mais de 1 milhão de Galaxy S10 vendidos em território chinês no trimestre e, ainda que não seja tanta coisa assim, foi o suficiente para que a Samsung conquistasse 1,1% da fatia do bolo — é a primeira vez que isso acontece desde os três primeiros meses de 2018.

Para ter uma ideia, as vendas do Galaxy S10 foram entre 120% e 130% superiores à linha Galaxy S9, que inicialmente apresentou uma boa aceitação, mas depois acabou caindo. O Galaxy Note 9 também teve resultados bem abaixo do esperado.

galaxy samsungFonte: Phone Arena

A expectativa é de que o Galaxy S10 mantenha o fôlego ao longo do ano e as amostras desse início de temporada projetam alta durante o restante do ano, especialmente com a chegada do Galaxy Note 10, em agosto. Este ano, a Sammy prepara três modelos, incluindo uma variante com 5G e outra Pro, com um hardware ainda mais robusto.

Outro trunfo na manga é a linha intermediária premium Galaxy A, que vem se tornando cada vez mais importante para a Samsung. Embora ainda não tenha confirmado oficialmente, os novos dispositivos foram projetados justamente para conquistar os mercados chinês e indiano. A ideia usar essa série para acelerar o crescimento na China e ficar à frente da Xiaomi na Índia.