O presidente da República Jair Bolsonaro reiterou que não vai fazer uma regulamentação de mídia no Brasil, adicionando mídias sociais, como Facebook e Twitter — este último, que se tornou instrumento de comunicação oficial do governo.

No último domingo (05), Bolsonarou tweetou que, em seu governo, “a chama da democracia será mantida sem qualquer regulamentação da mídia, aí incluída as sociais. Quem achar o contrário recomendo um estágio na Coréia do Norte ou Cuba”.

O tweet de Bolsonaro serve como resposta a críticas nas redes sociais que atacam o ministro Carlos Santos Cruz, da Secretaria de Governo

As primeiras discussões no governo sobre a regulamentação nasceram em 2015, no mandato da ex-presidente Dilma Roussef. O governo do PT acreditava que uma regulamentação iria democratizar a comunicação no Brasil, além de combater oligopólios e monopólios do setor. Como nota a Agência Brasil, o debate não foi à frente.

Segundo assessores presidenciais, afirma a Folha, o tweet de Bolsonaro serve como resposta a críticas nas redes sociais que atacam o ministro Carlos Santos Cruz, da Secretaria de Governo. Santos Cruz vem sendo atacado por eleitores de Bolsonaro capitaneados pelo escritor e astrólogo Olavo de Carvalho, guru do presidente do Brasil.

Em entrevista para a Jovem Pan no começo de abril, o ministro Santos Cruz disse que é preciso ter cuidado com a utilização de redes sociais, “evitando ataques e seu uso como arma de discórdia”. “As distorções e os grupos radicais, sejam eles de uma ponta ou de outra, da ponta leste ou da ponta oeste, isso aí tem que ser tomado muito cuidado, tem que ser disciplinado. A própria legislação tem de ser melhorada”, disse Santos Cruz.

Muitos eleitores de Bolsonaro enxergaram a fala como uma possível regulamentação a ser feita. O guru Olavo de Carvalho tweetou sobre o caso: “Contralar a internet, Santos Cruz? Controlar a sua boca, seu merda”.