Microsoft atualmente segue faturando pesado, chegando próximo da marca de US$ 1 trilhão do seu valor total, mas não foi sem diversos tropeços que poderiam ter sido evitados, de acordo com ex-funcionário da empresa. Segundo ele, o maior problema da Microsoft e que acabou minando vários dos seus projetos, foi uma falta de organização de seus líderes e brigas internas.

Garry Tan, ex-funcionário da Microsoft que trabalhou na empresa de 2003 a 2005 e hoje é parceiro da startup Initialized, comentou em seu Twitter ter encontrado antigos colegas e tentou explicar exatamente o que aconteceu de errado com vários projetos da companhia. Em uma série de tweets, Tan comentou que a Microsoft perdeu praticamente todas as batalhas que tentou ganhar, seja com o Zune, Windows Phone, popularização do OneDrive ou a função universal de mensagens do Skype.

Imagem: Reprodução/Microsoft

Para o ex-funcionário, o maior problema por trás desses fracassos foi a falta de organização dos líderes dos projetos, além de brigas internas sobre o caminho a ser seguido. Ele comentou que a empresa conta com muitos níveis de gerenciamento, o que atrasava a evolução dos projetos, mudanças repentinas do que eles deveria ser no meio do seu desenvolvimento, uma demora exagerada para entregar os produtos aos consumidores e um foco que beirava a paranoia de copiar aquilo que outras empresas já fizeram em vez de focar no que os usuários queriam.

Para Tan, a Microsoft ficou muito tempo tentando defender o seu quase monopólio bilionário em vez de permitir que os desenvolvedores atendessem ao público e o que ele queria. Garry revelou que vários desenvolvedores e engenheiros deixaram a Microsoft na mesma época que ele pois tinham opiniões similares e não acreditavam que uma empresa que não ouve o que o público deseja não é um bom lugar para criar grandes produtos.

Mesmo com esses problemas, a Microsoft parece estar bastante satisfeita com a sua presença no mercado, podendo chegar, conforme comentando anteriormente, a valer mais de US$ 1 trilhão, algo que apenas Apple e Amazon conseguiram até hoje.