Não é segredo para ninguém que as chinesas estão galgando ano a ano rumo ao topo das vendas mundiais de smartphones e mais recentemente a Huawei, ao assumir a segunda posição, deixou bem clara sua intenção de ocupar a liderança muito em breve. Essa informação, claro, chegou à Samsung, que agora dá uma resposta sobre a possibilidade de deixar a primeira posição — e a aposta é no recém-chegado segmento dos dobráveis.

Com 290 milhões de unidades entregues, a Samsung continuou com a medalha de ouro no ano passado, mesmo com uma acentuada queda na comparação com 2017, quando a sul-coreana emplacou nada menos do 318 milhões de telefones. Nesse mesmo período, a Huawei pulou de 153 milhões para 206 milhões.

Poderemos ter uma amostra do desempenho do Galaxy Fold com o seu lançamento oficial, no final do mês

“Como líder global no mercado de smartphones, nossa prioridade é e sempre foi melhorar nossos produtos e serviços para fornecer inovações significativas para nossos consumidores. A Samsung é líder no mercado de smartphones há 10 anos e continuará assim pelos próximos 10 anos, continuando a inovar e a imaginar novas experiências móveis”, disse o CEO DJ Koh, em recente entrevista.

Embora esteja confiante, é preciso destacar que ainda é cedo para dizer que o Galaxy Fold será um sucesso de vendas. A Samsung já adiantou que pretende lançar diferentes versões da novidade, possivelmente uma linha intermediária para bolsos mais modestos — mas vale lembrar que tanto a própria Huawei quanto outras concorrentes, a exemplo da Xiaomi, também estão entrando forte nesse filão.

samsungO CEO da Samsung, DJ Koh. Fonte: WCCFTech

O lançamento oficial do Galaxy Fold, no final deste mês, poderá fornecer mais dicas sobre o seu desempenho nas vendas — e também dar mais detalhes se a Sammy realmente vai segurar os rivais e continuar à frente dos outros.