O ministro Marcos Pontes, de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) afirmou que os novos cortes de recursos vão afetar programas e pesquisas, deixando o ministério “com a corda no pescoço”. O parecer foi entregue em visita ao Congresso Nacional nesta quarta-feira (10), realizada para explicar o acordo de salvaguardas tecnológicas com os EUA para uso da base de Alcântara, no Maranhão.

De acordo com o Convergência Digital, o ministro Marcos Pontes afirmou que “ciência e tecnologia deve ser a ponta de lança do desenvolvimento de qualquer país. Já temos problemas de orçamento e agora com bloqueio de 42% sobre um orçamento que já era pequeno ficamos com a corda no pescoço”.

Anteriormente, o ministério teve um orçamento anual próximo a R$ 9 bilhões

Um novo decreto presidencial, com programação orçamentária e financeira para 2019, acabou deixando o MCTIC com apenas R$ 2,947 bilhões para despesas discricionárias. Isso porque o decreto prevê um bloqueio de R$ 2,1 bilhões do valor definido na Lei Orçamentária Anual, que era de R$ 5,1 bilhões para despesas de investimento do orçamento do ministério da tecnologia.

Marcos Pontes completou dizendo que o ministério está perdendo prestígio no governo. “Ao longo dos anos a gente veio perdendo prestigio e o orçamento veio caindo, com reserva de contingenciamento do nosso principal fundo, o FNDCT”.

Os cortes na pasta de tecnologia acontecem desde 2015. Anteriormente, o ministério teve um orçamento anual próximo a R$ 9 bilhões.

powered by Typeform