A nova presidência da Telebras tomou posse nesta quinta-feira e o coronel reformado Waldemar Ortunho Junho adiantou que pretende tornar a estatal lucrativa, com foco no uso dos satélites nacionais e na oferta de acesso à internet para regiões sem conectividade. A ideia é atingir 40 milhões de clientes.

Telebras deve manter satélite ativado para ajudar em Brumadinho em funcionamento

A Telebras ativou recentemente a comunicação emergencial com o satélite geoestacionário de defesa e comunicações para auxiliar nas buscas pelos corpos da tragédia em Brumadinho (MG). Junho adiantou que essa “função estratégica” deve ser mantida. “(O satélite é) o único com cobertura de 100% do território nacional dotado da mais alta tecnologia, capaz de atender imprevistos, necessidades do governo e levar alegria a milhões de brasileiros com internet”, afirmou.

Criada em 1972, a empresa já foi privatizada em 1988 e depois renasceu em 2010 para gerir o Plano Nacional de Banda Larga e atender o grande contingente de desconectados. Na cerimônia, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, disse que deve manter a estatal ativa.

TelebrasO novo presidente da Telebras, Waldemar Ortunho Junho. Fonte: Telebras

“A Telebras vai levar sinal para aquela criança no meio da Amazônia que não teria outro meio de se conectar com o mundo, perceber suas potencialidades, como ela pode contribuir para o planeta e satisfazer seus sonhos. A comunicação é essencial para isso. Então a gente precisa dessa conexão das regiões à oeste da linha de Tordesilhas”, comentou Pontes.