Operadora nos EUA é processada por colocar ícone de falso 5G em smartphones

1 min de leitura
Imagem de: Operadora nos EUA é processada por colocar ícone de falso 5G em smartphones
Avatar do autor

O 5G vai pipocar em várias partes do mundo em 2019, mas houve quem tentasse pegar carona em toda a empolgação das pessoas com a nova geração das redes móveis para enganar os seus clientes. Esse é o caso da operadora AT&T, que está sendo processada nos Estados UNidos por vender 4G como se fosse 5G.

O caso é o seguinte: desde dezembro de 2018, a AT&T passou a oferecer uma tal de “5G E” para os seus clientes, com um ícone com essa inscrição sendo exibido no topo da tela. Porém, o que era para ser “5G Evolution” era, na verdade, uma rede 4G LTE Advanced, que é melhor do que uma rede 4G LTE convencional, mas ainda não é o famigerado 5G.

Obviamente que isso não passou despercebido pelas rivais da operadora de telefonia móvel. Enquanto a Verizon publicou um documento pedindo mais respeito por parte da indústria a fim de não induzir os consumidores ao erro, a T-Mobile tirou sarro pelo Twitter e houve quem preferisse levar o caso à Justiça.

A operadora Sprint iniciou um processo contra a AT&T alegando que a companhia obtém vantagens indevidas no mercado de telefonia móvel por meio de propaganda enganosa. Ao ofertar um aparelho supostamente compatível com 5G, ela convence as pessoas de que seus produtos são melhores do que os da concorrência.

E a Sprint usa números para provar que essa tática vem dando certo: uma pesquisa feita por ela mostrou que 54% dos consumidores entrevistas acreditam que o “5G E da AT&T é, de fato, uma rede 5G e que a empresa já está comercializando aparelhos com suporte para essa tecnologia — duas mentiras, pois os aparelhos 5G ainda não estão sendo comercializados.

O processo ainda está apenas no começo e não há qualquer indício de qual será o seu desfecho.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Operadora nos EUA é processada por colocar ícone de falso 5G em smartphones