[Atualização 07/02]

A IDC corrigiu a informação original. Segundo a empresa de consultoria, o aumento de 18% corresponde à receita das vendas de smartphones no Brasil, não ao preço dos produtos. Quanto a esse assunto, a companhia não possui a reportagem.

[Notícia original]

As previsões da empresa de pesquisa de mercado IDC Brasil para o mercado de telecomunicações e tecnologia da informação no Brasil são interessantes para o mercado, mas nem tanto para o consumidor. Isso porque, na visão da companhia, os celulares devem ficar, em média, 18% mais caros no Brasil neste ano.

A explicação para isso seria a inclusão de novos recursos, como câmeras melhores, funções baseadas em inteligência artificial e mais memória, e o amadurecimento do mercado de smartphones no Brasil, algo que torna o consumidor mais disposto a gastar mais. Com isso, o preço aumenta, mas cai o número de unidades vendidas.

Até R$ 10 mil

A previsões citam, ainda, modelos de até R$ 10 mil chegando ao Brasil neste ano e tendo apelo junto a uma parte do público.

“Em 2019, vamos ver o lançamento provável de aparelhos que custarão R$ 10 mil para o consumidor final. E haverá quem compre, porque o brasileiro médio já está indo para terceiro ou quarto aparelho, ele busca melhorias em relação ao que já possui”, defende a IDC.

PCs e tablets também terão os preços elevados, com a média de elevação girando em 7%. Considerando todo o mercado de computadores e dispositivos portáteis (smartphones, celulares simples, tablets etc.), espera-se que o setor movimente US$ 24,5 bilhões no Brasil em 2019.

Quer ficar de olho nas melhores ofertas de smartphones do país? Use o Comparador do TecMundo e encontre o aparelho mais barato.

Cupons de desconto TecMundo: