Inicialmente, a SpaceX iria construir seu foguete Starship utilizando alumínio e fibra de carbono. Agora, o CEO da companhia, Elon Musk, mudou de ideia. Para ele, há uma série de fatores que o fizeram repensar e optar pelo aço inoxidável.

Basicamente, alumínio e fibra de carbono iam deixar todo o processo mais caro e demorado, mesmo que a quantidade de metal empregada fosse menor. Aliás, 35 por cento do material seria sucata inutilizável.

Depois de avaliar as possibilidades, Musk resolveu optar pelo aço inoxidável para revestir a espaçonave, cuja pretensão é levar passageiros para a Lua e Marte, uma vez que este material é mais barato que a fibra de carbono, embora seja mais pesado. De qualquer forma, o aço inoxidável ainda é mais leve que muitos outros metais, sendo que sua resistência a temperaturas criogênicas é excelente. Quanto mais frio, mais resistente, e sem haver riscos de rachaduras, já que ele consegue manter a ductilidade. A princípio, será utilizado o aço inoxidável do tipo 301, que é bem parecido com o que usamos para fabricar panelas.

Além das vantagens já citadas, ao utilizar o aço inoxidável, Musk poderia pôr em prática seu tão sonhado projeto de revestimento que funciona como um escudo térmico que se auto resfria. Esse revestimento conterá placas com um espaço entre elas, que será preenchido com água. Ao ser aquecida, essa água evapora por microperfurações, causando um efeito de resfriamento semelhante à transpiração dos seres vivos.