Imagine registrar um vídeo com resolução 8K e depois conseguir editá-lo e compartilhar o conteúdo online via laptop, com o mínimo de consumo de energia? Ou usar outros softwares pesados de imagem e som juntamente com mensageiro e suporte da inteligência artificial (IA), sem engasgos? Bem, isso é o que promete o Projeto Athena, “programa de inovação voltado para ajudar a levar o mercado a uma nova classe de notebooks avançados”.

A ideia é combinar alto desempenho com maior autonomia de baterias em conectividade e novas experiências relacionadas às novidades em IA e à chegada do 5G — como melhor gerenciamento de memória, autenticação biométrica, desempenho otimizados etc. Entre os pontos destacados pela companhia durante a apresentação na Consumer Electronics Show (CES) 2019, em Las Vegas, estão:

  • Uma especificação anual delineando os requisitos da plataforma;
  • Novas experiências para o usuário e metas de benchmarking definidas por modelos de uso do mundo real;
  • Amplo suporte de coengenharia e orientação de inovação;
  • Colaboração do ecossistema para acelerar o desenvolvimento e a disponibilidade de componentes portáteis importantes;
  • Verificação dos dispositivos do Projeto Athena por meio de um processo de certificação abrangente.

Confira o vídeo sobre o projeto:

Entre os parceiros nessa frente estão a Acer, a ASUS, a Dell, a Google, a HP, a Innolux, a Lenovo, a Microsoft, a Samsung e outros. A expectativa é de que os primeiros equipamentos do Projeto Athena, que provavelmente terão os novos processadores Ice Lake de 10 nm, já comecem a aparecer nas prateleiras no segundo semestre deste ano, com sistemas operacionais Windows e Chrome.