A Apple é alvo de um novo processo por suposta violação de patente, desta vez envolvendo o FaceTime. O sistema de videochamadas da Maçã é o protagonista de uma ação movida pela Uniloc, companhia conhecida dos tribunais por ser uma “troll de patentes”, ou seja, dona de várias patentes que tenta emplacar processos contra outras empresas.

Uma reportagem do site Apple Insider afirma que a patente em questão foi registrada em 2003 e diz respeito apenas a dois dispositivos que se comunicam por meio de uma rede baseada em pacotes. Ela foi originalmente solicitada pela 3Com, depois, em 2010, foi repassada a HP e, por fim, em 2011, ficou sob propriedade da Hewlett Packard Development. Apenas em 2017 a Uniloc se tornou a dona do registro.

Agora, a companhia acusa o FaceTime de utilizar a mesma estrutura de comunicação descrita no documento de 552 páginas da patente. “Especificamente, os servidores do FaceTime se comunicam com outros dispositivos por meio de redes baseadas em pacotes como WiFi, 3G ou LTE”, explica o Apple Insider. “Os dispositivos registram um endereço, como Apple ID ou número de telefone, com tais servidores para identificação posterior.”

FaceTimeFaceTime é alvo de processo. (Fonte: Apple)

Diante disso, a Uniloc afirma que todos os aparelhos a partir de iPhone 4, iPad 2, iPad Mini, iPod touch de quarta geração e MacBooks rodando o OS X violam suas patentes. A companhia pede para ser indenizada e reembolsada dos custos do processo, mas não especifica valores na ação.

Troll de patentes

Esta não é a primeira ação da Uniloc contra a Apple: eles moveram uma ação ano passado e outras duas apenas neste mês. Além disso, companhias como Activision Blizzard, Electronic Arts, Microsoft, Sony, Sega e Symantec já fora ou ainda são alvo de ações judiciais por supostas violações de patentes da empresa.

Cupons de desconto TecMundo: