Criadora do Essential Phone demite 30% de toda sua força de trabalho

1 min de leitura
Imagem de: Criadora do Essential Phone demite 30% de toda sua força de trabalho
Avatar do autor

A Essential — startup de Andy Rubin, o criador do Android — demitiu nesta semana cerca de 30% de toda a sua força de trabalho, de acordo com fontes anônimas da Bloomberg. A empresa confirmou a demissão em massa, mas não revelou nenhum número de pessoas dispensadas.

Os cortes teriam atingido especialmente as divisões de hardware e de vendas, mas, no geral, teriam reduzido em quase um terço a força de trabalho da companhia.

Essa notícia fica ainda mais grave quando, há poucos meses, a surgiram rumores de que Essential teria cancelado a segunda geração do Essential Phone e colocado o seu concorrente do Google Home e Amazon Echo em espera.

Sentimos muito pelo que impacto em nossos colegas que estão saindo da empresa, mas estamos fazendo o possível para ajudá-los

“Foi difícil tomar essa decisão. Sentimos muito pelo que impacto em nossos colegas que estão saindo da empresa, mas estamos fazendo o possível para ajudá-los em suas futuras carreiras profissionais”, disse a Essential por meio de um comunicado enviado à Bloomberg.

Não há nenhuma novidade sobre os possíveis produtos que a Essential pode estar desenvolvendo com a força de trabalho que lhe restou, mas a empresa mantém o tom otimista.

“Acreditamos que o nosso foco mais refinado em produto vai nos ajudar a entregar um novo dispositivo realmente revolucionário”, completou o comunicado.

Primeiro fracasso

A primeira geração do Essential Phone contou com bastante hype da imprensa de tecnologia por conta das diversas promessas que a empresa fez antes do lançamento. Após diversos atrasos, o aparelho finalmente chegou ao mercado, mas era muito caro e tinha uma câmera ruim para a categoria.

Não há números oficiais, mas rumores diziam que foram vendidos apenas 150 mil Essential Phones entre 2017 e 2018.

Com os reviews negativos do seu primeiro produto, a empresa perdeu totalmente a confiança de seus investidores, os quais já avaliavam a startup em mais de US$ 1 bilhão, antes mesmo de vender qualquer produto.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Criadora do Essential Phone demite 30% de toda sua força de trabalho