Google desiste de competir por contrato de US$ 10 bilhões com o Pentágono

1 min de leitura
Imagem de: Google desiste de competir por contrato de US$ 10 bilhões com o Pentágono
Avatar do autor

Google desistiu, nesta segunda-feira (8), de competir por um contrato de US$ 10 bilhões na área de computação em nuvem para o Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Conhecido publicamente como JEDI, esse projeto envolve a transferência de uma grande quantidade de dados do Pentágono para um sistema na nuvem.

De acordo com um porta-voz da empresa, o Google desistiu do contrato por acreditar que ele não estaria alinhado com os princípios da companhia para o desenvolvimento de inteligência artificial. Ele também disse que partes do contrato estavam fora do escopo das atuais certificações do governo que o Google tem.

Segundo a Tech Workers Coalition (Coalizão de Trabalhadores da Tecnologia), a desistência aconteceu depois de muita pressão dos funcionários para que o Google não colocasse sua infraestrutura a serviço do exército. Em junho deste ano, Sundar Pichai, diretor-executivo do Google, publicou um texto onde afirma que o Google não utilizaria sua expertise em inteligência artificial para desenvolver armas. Ele fez isso após receber críticas internas de quem trabalha na empresa.

Com a saída do Google dessa disputa, o mais provável é que uma das duas outras competidoras de peso, Amazon e Microsoft, saia vencedora. Ambas têm um nível mais alto de certificação de segurança e trabalham com o Pentágono em diversas outras áreas.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Google desiste de competir por contrato de US$ 10 bilhões com o Pentágono