Samsung abriu a maior loja de experiência mobile do mundo no centro de Bengalore, considerada a capital da tecnologia da Índia. O espaço escolhido para o empreendimento foi uma opera house (ou casa de ópera) construída durante o domínio britânico no país, na década de 1930. Para isso, a companhia reformou e restaurou completamente o monumento de 3 mil metros quadrados, tornando-o seu maior centro de experiência e inovação.

Na Opera House da Samsung, os consumidores poderão participar de eventos, comprar produtos e conhecer as últimas inovações da empresa. Nesse último caso, terão acesso a equipamentos construídos com tecnologias, como Inteligência Artificial, Internet das Coisas e Realidade Virtual. De olho nos millenials, a loja tem como seu maior objetivo oferecer uma experiência diferenciada; exemplo disso é a possibilidade de se aventurar em alguns jogos em uma cadeira de RV com movimentos tridimensionais de 360°.

Por que a Índia?

O país é um dos mais lucrativos do mundo no setor de smartphones, contando com mais de 1 bilhão de conexões wireless. Sem dúvidas, esse é um número bastante considerável, se comparado à China e aos Estados Unidos, onde o crescimento/vendas no segmento tem acontecido de forma lenta.

Pensando nisso, a Samsung já possui 2,1 mil lojas no país, e o novo espaço foi pensado para competir com marcas chinesas que dominam o mercado indiano, como é o caso da Xiaomi (com 30% de share). Com essa visão expansionista, a companhia sul-coreana ainda deseja combater a sua maior rival global: a Apple, que tem uma fraca participação nesse mercado, com apenas 1% de share. Além disso, ela não possui lojas no país; seus dispositivos são comercializados por meio de lojas de revenda e e-commerce.

A Opera House abriu suas portas menos de dois meses após a Samsung inaugurar sua maior fábrica mobile em Noida (sigla de New Okhla Industrial Development Authority/Autoridade de Desenvolvimento Industrial de New Okhla), cidade industrial em Deli, capital da Índia. Diante dessas estratégias, fica evidente que a gigante sul-coreana deseja dominar o mundo indiano da maneira mais rápida possível.