O futuro do mercado de placas de vídeo tem aumentado a expectativa a cada anúncio. A NVIDIA tem em suas placas a tecnologia Ray Tracing, nas GPUs de microarquitetura Turing; AMD, por outro lado, não teve anúncios de nenhuma tecnologia gráfica, porém promete trazer as primeiras GPU de 7 nm, o que pode significar aprimoramentos de energia e performance; a Intel, somente por ter anunciado a sua chegada com sistema gráfico dedicado, já garante surpresas.

AMD e NVIDIA, já há tempos competindo nesse cenário, possuem experiência e tecnologias para atrair o consumidor aos seus produtos. A Intel, buscando oferecer as mesmas vantagens, confirmou que pretende incluir Adaptative Sync em suas placas dedicadas.

A tecnologia é um recurso gráfico responsável para evitar o Screen Tearing, fenômeno provocado pela grande taxa de quadros por segundo em monitores com frequência mais restrita. O efeito provocado é uma "quebra" na imagem, apresentando dois quadros ao mesmo tempo. As atuais competidoras possuem suas soluções para o problema: G-Sync, da NVIDIA; FreeSync, da AMD.

A Gigante Azul confirma o plano de aplicar o recurso em suas soluções gráficas (integradas e dedicadas). Quem trouxe a notícia foi um usuário do Reddit que, em uma conversa com Chris Hook, diretor de Marketing de soluções gráficas dedicadas, perguntou a respeito de um antigo pronunciamento da Intel sobre Adaptative Sync.

Não há detalhes sobre como o Adaptative Sync será aplicado. Felizmente, o cenário será ótimo para o consumidor. A presença de mais um competidor trará produtos de melhor qualidade e preço mais acessível. Entretanto, é necessário que os produtos Intel atendam às expectativas.