Desde que os primeiros leitores digitais começaram a aparecer no mercado com telas em preto e branco, os consumidores imaginam como poderiam ser seus leitores se tivessem telas E-Ink coloridas. Em 2016, a empresa responsável por essa tecnologia, a “E-Ink” apresentou seus primeiros displays de “pigmento digital” em cores e, agora eles começaram a chegar ao mercado. Mas, por enquanto, elas vão atender apenas a demanda do mercado de divulgação comercial. Em outras palavras, elas servirão para propaganda e não para leitores digitais.

Não vamos anunciar uma data para a chegada de telas coloridas nesses aparelhos

Essa é a realidade pelo menos nesse primeiro momento. Em entrevista ao Good e-Reader, o CEO da E-Ink, Johnson Lee, explicou a situação. “Uma vez que os leitores digitais não são nosso foco para essa linha de produtos, não vamos anunciar uma data para a chegada de telas coloridas nesses aparelhos”, disse Lee.

Apesar de que ler isso pode ser um pouco decepcionante, é importante destacar que as telas E-Ink coloridas ainda não estão maduras o suficiente para chegar às mãos do consumidor final. O processamento necessário para o pigmento colorido faz com que a atualização da tela seja bem mais lenta, o que tornaria inviável ficar trocando de página em um Kindle colorido, por exemplo.

goodereaderTelas E-Ink ACeP

Seja como for, uma tela dessa natureza em um aparelho como o da Amazon seria ideal para o consumo de revistas, quadrinhos e também livros didáticos, os quais muitas vezes dependem das diferenças de cor para explicar conteúdo.

Seja como for, os novos displays coloridos de pigmento digital apresentados pela E-Ink se chamam ACeP e conseguem representar até 32 mil cores, o que é uma grande evolução se compararmos o novo produto com a geração Triton, que ficava em 4.096 cores. A resolução máxima das telas ACeP nesse momento é de 1600 x 2500 pixels em uma densidade de 150 pontos por polegada. Esses produtos poderão substituir banners, cartazes e até mesmo etiquetas de preços em gôndolas de supermercados.