De acordo com uma reportagem do The Wall Street Journal publicada hoje (31), a Apple estaria sendo acusada pela mídia chinesa de não fazer o suficiente para impedir a disseminação de pornografia, jogos de azar e venda de produtos falsificados por meio de suas plataformas, tais como iMessage e a própria App Store.

Pornografia, jogos de azar e venda de produtos falsificados são terminantemente proibidos na China, e o governo do país vem aumentando seus esforços para combater as transgressões dessas regras.

De acordo com a imprensa chinesa, que é controlada pelo Estado, o iMessage estaria sendo largamente utilizado para compartilhamento de vídeos adultos por conta da sua criptografia ponta a ponta, que impede qualquer tipo de controle do conteúdo por meio da empresa que controla o serviço.

Fora isso, a App Store também é acusada de oferecer vários apps que permitem fazer apostas com dinheiro em variações de jogos de azar, o que não estaria deixando o governo chinês muito feliz. Diferente da Google, a Apple aceitou as exigências da China para manter sua loja de apps disponível no país. Contudo, com mais esse episódio de acusações contra a empresa, não descartamos a possibilidade de a o governo local acabar banindo os serviços da Apple na China, que é um dos mercados mais importantes para a marca.

Cupons de desconto TecMundo: