A operadora Oi ainda está em processo de recuperação digital e tentando voltar aos trilhos com parcerias de peso. Hoje (26) a empresa anunciou uma aliança com a chinesa Huawei para cuidar de toda a modernização da rede de fibra ótica da operadora e de internet móvel. A ideia é utilizar o equipamento e a tecnologia envolvidos na transmissão em 2G e 3G hoje para levar o 4,5G para a área de cobertura da Oi.

Conforme a Oi informou, as bandas largas fixa e móvel da operadora vão passar por um processo de renovação que vão ter como base contratos com novos fornecedores de serviços e equipamentos. Um novo modelo de negócio chamado FTTH (fiber to the home) deve ser adotado para a implantação da infraestrutura de fibra ótica até mais de 20 milhões de residências cobertas pela Oi.

Por conta da modernização focada na demanda de dados, a Oi planeja a ampliação de "robustez" do backbone de 100 GB e de equipamentos de rede na rede de acesso

A parceria entre as duas empresas foi oficializada ontem na China, na cidade de Shenzhen, onde fica a sede da Huawei. O novo modelo de negócio para implantação de fibra óptica prevê investimento num formato just in time, evitando a construção de infraestrutura ociosa e atendendo com mais precisão a demanda dos clientes por uma banda larga mais robusta. Este modelo já vem sendo implantado em alguns municípios e será acelerado agora com a expansão da rede da Oi.

De olho no futuro

Por conta da modernização focada na demanda de dados, a Oi planeja a ampliação de "robustez" do backbone de 100 GB e de equipamentos de rede na rede de acesso, que compõem a arquitetura single edge. O projeto também quer maior eficiência operacional com a uniformização de fornecedor para gerar ganhos de eficiência por meio da otimização do uso de todas as frequências da rede móvel – ou seja, entre outras medidas, ampliar o refarming de faixas para o LTE.

“Esse projeto estruturante é parte do nosso plano de recuperação judicial. A partir dele esperamos poder levar fibra ótica à casa dos clientes em diversos pontos país e passar a atuar de forma mais agressiva neste mercado, além de ampliar e modernizar a cobertura e a rede móveis. Esse movimento representa mais um avanço na implementação do plano de investimentos previsto no plano negociado com os credores”, disse Eurico Teles, presidente da Oi.