Ontem (19), o bilionário Elon Musk enviou um email para toda a sua equipe informando que um funcionário da Tesla teria realizado uma “extensiva e danosa sabotagem” à fabricante de veículos elétricos e autônomos. Segundo a mensagem, que foi obtida pela agência Reuters, o funcionário sabotador teria não apenas alterado códigos de softwares da empresa, mas também cedido dados sensíveis para terceiros.

“Ainda não ficou clara a extensão completa das ações dele, mas o que ele admitiu até agora é bem ruim”, escreveu Elon Musk na mensagem. “Ele afirmou que a sua motivação foi uma promoção desejada e não recebida”, prosseguiu o fundador e presidente da Tesla.  

Elon Musk suspeita até mesmo da participação de outras empresas de alguma forma ligadas ao setor automobilístico na sabotagem

Musk afirmou que o caso está sendo investigado internamente e levantou a possibilidade da participação de outras companhias. Segundo ele, há diversos atores no mercado que “querem que a Tesla morra”, como petrolíferas, companhias do setor automobilístico e figurões de Wall Street. Apesar das acusações, o executivo não nomeou nenhuma das possíveis envolvidas no caso.

Como o email em questão foi “vazado”, a companhia não se posicionou oficialmente a respeito do caso e também não houve qualquer confirmação independente dos fatos narrados por Musk.

No domingo (17), ele já havia mandado outro email a seus funcionários falando sobre um pequeno incêndio em uma das instalações da Tesla. Apesar de não relacionar de forma direta o evento com qualquer ato de sabotagem, o executivo pediu cautela. “Por favor, fiquem em alerta para qualquer coisa que não seja do interesse de nossa empresa”, escreveu. Parece que a bruxa anda solta.