Uma auditoria realizada em março pela Vigilância de Trabalho da China identificou um número assustador de trabalhadores irregulares na Foxconn, fábrica de produtos tecnológicos da Amazon, localizada na cidade de Hengyang, na China.

De acordo com a inspeção, mais de 40% dos indivíduos envolvidos na fabricação de alto-falantes Echo e leitores Kindle eram funcionários de uma empresa terceirizados com salários abaixo do mínimo para a região. Detalhe: a quantidade é bem acima da permitida por lei, que aceita 10% de terceirizados. 

Para piorar a situação, tanto a Amazon quanto a norma nacional recomendam que quem faz hora-extra receba uma taxa de 50% sobre o valor padrão, o que não vinha acontecendo.

O fato de que as condições de trabalho nas fábricas chinesas são insalubres e os salários são miseráveis não é segredo para os consumidores no mundo inteiro, mas a inspeção na fábrica de Hengyang mostrou que a situação ali estava bem pior do que o padrão.

Por exemplo: o salário-base de um trabalhador na fábrica da Apple em Shenzhen é de 2,4 mil yuan — aproximadamente R$ 1,4 mil. No caso da fábrica inspecionada, os salários se fixavam em cerca de 1.750 yuan (R$ 1 mil).

O problema é que o custo na cidade exige um salário quase três vezes maior para permitir uma vida com qualidade. Para alcançar isso, as pessoas precisariam trabalhar cerca de 80 horas semanais, o que é totalmente insalubre.

Além dos salários baixos, os trabalhadores não têm direito à licença em caso de doença nem feriados e podem ser demitidos sem que a empresa arque com qualquer despesa.

A Amazon emitiu um comunicado oficial, dizendo:

"A Amazon leva muito a sério as violações relatadas do código de conduta de nossos fornecedores. No caso da fábrica da Foxconn Hengyang, a Amazon concluiu sua auditoria mais recente em março de 2018 e identificou duas questões preocupantes. Solicitamos imediatamente um plano de ação corretiva da Foxconn Hengyang detalhando suas estratégias para remediar os problemas identificados e estamos conduzindo avaliações regulares para monitorar a implementação e a conformidade com nosso código de conduta do fornecedor. Estamos comprometidos em garantir que esses problemas sejam resolvidos."