A mudança na política de precificação dos combustíveis no Brasil continua resultando em crise. Como resposta às mudanças aplicadas pelo governo de Michel Temer à Petrobras, milhares de caminhoneiros realizam greve e bloqueios há mais de uma em vários pedaços do Brasil, o que resultou, entre outras coisas, na interrupção da entrega de combustíveis em diversas regiões.

Como resultado disso, o SindiTelebrasil, sindicato das prestadoras de telecomunicações que atuam no país, fez uma solicitação formal a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para que seja priorizado o abastecimento da frota de veículos de manutenção as companhias do setor.

Teles já estão sem combustível em seus reservatórios, informa o SindiTelebrasil

O sindicato solicitou, ainda, escolta de caminhões-tanque até os reservatórios de geradores de energia usados em centrais. Esses equipamentos são os responsáveis pela oferta de energia em caso de interrupção do fornecimento de energia comercial.

Em suma, o SindTelebrasil informa que a falta de combustível pode afetar não apenas o consumidor final, mas também órgão de atividades essenciais, como hospitais, polícias e corpos de bombeiros por todo o país, que ficariam sem serviço de telefone, SMS e internet caso a situação se agrave. Segundo a nota enviada neste domingo (27) para a Anatel, as companhias já estão com seus estoques de combustível zerados.

A Anatel ainda não se pronunciou sobre a solicitação.