A divisão de games e hardware da Microsoft já havia abandonado o desenvolvimento do Kinect há um bom tempo, mas parece que o famoso sensor de movimentos e ambientes está ganhando uma segunda chance. O aparelho foi transformado em uma simples placa integrada e agora servirá como uma ferramenta para auxiliar o desenvolvimento e utilização de aplicações de inteligência artificial no Microsoft Azure, a plataforma de computação em nuvem da empresa de Redmond.

Além de ser miniaturizado, o sensor de profundidade do novo Kinect ganhou um aumento significativo em resolução, saindo de 640x480 — no modelo lançado com o Xbox One —, para 1024x1024. A Microsoft anunciou durante sua conferência Build 2018 que o novo dispositivo também vai funcionar melhor quando houver luz direta do sol incidindo sobre o ambiente mapeado.

novo kinectNovo formato do Kinect para Azure

Com esse novo “Project Kinect para Azure” tomando forma, desenvolvedores poderão fazer com seus softwares inteligentes aprendam a “sentir” o mundo real, conseguindo mapear formas humanas e de objetos com mais precisão, além de perceber profundidade e outras dimensões.

Isso resulta em algoritmos de IA muito mais baratos de se aplicar e que também são mais inteligentes

Alex Kipman, um dos responsáveis pelo projeto na Microsoft, comentou que existem ainda outros benefícios de integrar sensores de profundidade em plataformas de IA. “Fazer deep learning em imagens com profundidade pode levar a uma diminuição dramática no tamanho de redes neurais necessário para atingir o mesmo nível de qualidade do que é feito com imagens comuns. Isso resulta em algoritmos de IA muito mais baratos de se aplicar e que também são mais inteligentes”, comentou em comunicado oficial.

Esta é, portanto, a quarta geração do Kinect, que antes de ser descontinuado pela Microsoft como um produto individual, havia sido integrado no HoloLens. Para Xbox, o dispositivo deve duas versões.