Assim como transferências no mundo do futebol e a contratação de astros por emissoras de TV, grandes movimentações de mercado em empresas de tecnologia chamam a atenção por vários motivos: as altas cifras envolvidas, a absorção de companhias também consideradas grandes e as possibilidades de mercado após essas compras e vendas.

Ao longo dos anos, foram várias transações que movimentaram a indústria, de empresas adquirindo rivais a fusões que ninguém esperava — algumas bem sucedidas, outras nem tanto. A seguir, confira alguns dos anúncios mais bombásticos e suas respectivas consequências.

1) Google compra (e depois vende) a Motorola

Motorola foi uma das fabricantes de celulares mais bem sucedidas dos anos 90 e 2000, e a gigante Google queria uma parceira mais de perto pra ajudar no desenvolvimento de smartphones.

Uma logomarca.

A gigante das buscas pagou em agosto de 2011 cerca de 12 bilhões e meio de dólares e se importou mais com as patentes da divisão do que em ajudar a fabricante. Pelo menos vários aparelhos de sucesso foram lançados nessa época, como o Moto G. O resultado foi a venda da Motorola para a chinesa Lenovo, em janeiro de 2014, por 2 bilhões e 900 milhões de dólares.

2) Facebook compra o WhatsApp

WhatsApp já era um aplicativo de sucesso em 2014, mas ninguém imaginava que a maior rede social do mundo desembolsaria uma quantia tão alta em um só serviço.

A logo do WhatsApp.

O Facebook pagou 19 bilhões de dólares pela pequena empresa, que três anos antes valia só 8 milhões. Muita gente achava que as coisas mudariam no WhatsApp e até anúncios seriam colocados, mas por enquanto nada tão radical aconteceu.

3) Microsoft compra o LinkedIn

A Microsoft não costuma gastar horrores em outros softwares e serviços, mas não mediu esforços nem dinheiro quando adquiriu a rede social corporativa LinkedIn.

Uma montagem;

Muita gente nem liga pra plataforma, mas ela é realmente muito utilizada em contratações, divulgação de vagas e como um currículo virtual. A compra foi em 2016 por 26 bilhões de dólares e a integração da rede com os serviços da Microsoft ainda deve aumentar.

4) Time Warner e AOL fazem fusão

A gigantesca Time Warner é nada menos que o conglomerado que envolve HBO, Warner Bros, CNN, DC Comics, Hulu e várias outras marcas. E ela ficou ainda maior quando a AOL, uma marca lendária da internet, anunciou no ano de 2000 que estava fazendo uma fusão com a companhia.

Uma logo.

Só que o negócio foi tão ruim quanto bombástico. A receita da divisão da AOL caiu bastante por conta do fim da popularidade da internet discada e também pela explosão da bolha da internet. Em 2003, a AOL Time Warner virou só Time Warner, e a ovelha negra da fusão foi chutada pra escanteio, passando de maior acionista pra só mais uma divisão da Time Warner. O abandono definitivo veio só em 2009, quando a AOL voltou a ser uma empresa independente.

5) Avast compra a AVG

E quando uma rival adquire a outra? Foi exatamente isso que aconteceu em julho de 2016 quando a empresa de segurança Avast anunciou a compra da AVG por 1 bilhão e 300 milhões de dólares. A ideia era juntar não só as companhias, mas os laboratórios e as tecnologias de proteção.

Uma logo.

Somadas, as marcas estão presentes em mais de 250 milhões de computadores e 160 milhões de dispositivos móveis. E curiosamente, o país de origem das duas é a República Tcheca.

Cupons de desconto TecMundo: