Microsoft anunciou nesta quinta-feira (26) um balanço dos negócios nos primeiros três meses de 2018. E a companhia de Redmond tem bastante para comemorar: superou a meta de US$ 25,77 bilhões com receita de US$ 26 bilhões e registrou um crescimento de 16% em relação ao ano passado, com resultado líquido de US$ 7,4 bilhões e alta de 35% nesse quesito. Os maiores responsáveis foram os serviços Office 365 e Azure, além da divisão de games e, surpreendentemente, o LinkedIn e o Surface.

LinkedIn apresentou alta de 37% e receita de US$ 1,3 bilhão no trimestre 

Surpresa nessa lista, a linha Surface, que não havia apresentado resultados muito animadores no comércio de final de 2017, vendeu o suficiente para chegar à alta de 32% de janeiro a março deste ano. Como a companhia ainda não colocou nenhum novo dispositivo da franquia nas prateleiras em 2018, pode ser que essa seja a deixa para investir mais no setor. E, ao que parece, vem aí um Surface Notepad.

O LinkedIn também teve sua parcela de participação nesse sucesso da Microsoft no primeiro trimestre, com receita de US$ 1,3 bilhão. Isso representa um aumento de 37% em relação ao mesmo período de 2017 e um bom indício de que investimento de US$ 26 milhões na compra da rede social tenha sido uma jogada interessante.

microsoft

O Office 365, com mais de 135 milhões de usuários ativos e 30,6 milhões de assinantes, e a nuvem Azure, que teve um impressionante crescimento de 93%, elevaram a arrecadação com produtos de servidor e serviços em nuvem em 20%, na comparação com 2017. Já os jogos têm sido impulsionados pela assinaturas do Xbox Game Pass e Xbox Live Gold, com aumento de 24% e contagem total de 59 milhões de usuários.

O cenário é animador para a empresa, que pode celebrar o fato de que não precisa se apoiar tanto no Windows, que também conquistou mais licenças Pro, com alta de 11%. A única queda apresentada até agora foi com relação às compras da versão convencional do sistema operacional, com baixa de 8%.

Cupons de desconto TecMundo: