Um acordo firmado entre o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e três comparadores de preços de hotéis que atuam no Brasil permitirá que os hotéis ofereçam preços melhores aos clientes. A regra, porém, vale apenas para contato “offline”, ou seja, via contato telefônico, agências de turismo ou balcão de reservas.

As plataformas de comparação de preço em questão são Expedia, Decolar.com e Booking.com, que deixam de aplicar a chamada cláusula de paridade quando o contato não é feito via internet. Essa cláusula garantia que os hotéis não poderiam oferecer, de maneira alguma, condições melhores aos clientes do que aquelas encontradas em buscas online.

Para evitar que os sites tenham seus negócios prejudicados, porém, a cláusula continua valendo em relação aos preços que os clientes podem obter ao acessar o site oficial de um hotel. A intenção, segundo o Cade, é evitar que a concorrência seja limitada.

Novo acordo permite que contato offline renda negócios mais vantajosos para os clientes

O acordo firmado entre o trio e as autoridades brasileiras vem na esteira de um inquérito administrativo instaurado em 2016 após reclamação do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB). Agora, além de poder oferecer preços mais conta por meio de contato offline com o cliente, cada hotel poderá ainda negociar um preço individual com cada comparador.

Decolar.com e Booking.com se manifestaram de forma positiva ao acordo, conforme revela a Folha de S.Paulo. Já a Expedia não emitiu qualquer opinião pública a respeito do tema até o momento.