Você já pode ter ouvido falar que “dados são o novo ouro”. Em parte, é verdade. A popularização da internet trouxe com ela uma oportunidade única para empresas e governos entenderem as necessidades de quem utiliza seus serviços. Mas isso também significa que existe uma quantidade cada vez maior de informação sendo armazenada, e é preciso ter alguém com capacidade para decifrar esses números e transformá-los em algo palpável.

Foi isso o que contribuiu para o crescimento da profissão de cientista de dados. Segundo a IBM, a demanda por esse tipo de profissional deve aumentar em 28% até 2020. O cargo, que antes existia apenas nas empresas que queriam se destacar no mercado, virou praticamente obrigatório em qualquer companhia que envolva a internet no modelo de negócios. Isso explica o aumento gradual na demanda para pessoas com habilidades na área.

Uma pessoa usando um notebook.

Por onde começar?

Quem se interessa pela carreira pode ficar um pouco receoso achando que entrar na área é caro e difícil, mas as coisas podem ser bem mais simples do que se imagina. A plataforma de cursos online Udacity oferece uma dessas possibilidades, com programas completos que não exigem experiência prévia dos alunos. O Fundamentos de Data Science I é um que está com vagas abertas e ensina, em apenas dois meses, todo o essencial para começar a dar os primeiros passos no mundo da ciência de dados.

Lá existem opções para todos os níveis de conhecimento. Quem já sabe programar na linguagem Python e tem uma boa base em estatística e probabilidade pode passar para os vídeos mais avançados, que trazem conceitos importantes sobre machine learning, big data e map reduce.

Os cursos da Udacity se destacam por serem feitos em parceria com grandes empresas, como Google, Facebook, Amazon, IBM e Intel. Eles também se diferenciam ao oferecer uma abordagem mais prática, para que o aluno aprenda fazendo e já possa sair com um portfólio inicial em busca de colocação no mercado.

Um tablet e alguns papéis.

O que é preciso para ser um cientista de dados?

As competências necessárias variam dependendo da empresa ou do produto, mas existe um conjunto delas que é esperado de quem deseja ingressar nessa área. Conhecimento em linguagens de programação, por exemplo, será algo certamente cobrado por possíveis empregadores durante entrevistas e testes. O mesmo vale para saber lidar com estatísticas.

Essas exigências são recompensadas com bons salários, mesmo para as pessoas que estão apenas iniciando a carreira na profissão. Dados da plataforma Love Mondays mostram que, em média, quem trabalha na área ganha mais de R$ 8 mil mensais. O crescimento de startups brasileiras, que estão se destacando cada vez mais no cenário internacional, assegura a exigência constante de gente qualificada e bem-remunerada, já que a competição por esse tipo de profissional é alta.

Ainda em dúvida?

Planejar o futuro profissional nunca é uma coisa fácil, mas a Udacity também criou uma solução para isso. A plataforma preparou uma trilha de conhecimentos para que você descubra qual perfil de trabalho é mais atraente e já possa dar uma olhada nos cursos ideais para encarar esse desafio. Com certeza vale a pena conferir e começar a se preparar para o futuro.