Uma mulher promissora apontada como a bilionária mais jovem do mundo e criadora e presidente da Theranos, uma startup que fez barulho ao prometer revolucionar os exames de sangue. A descrição de Elizabeth Holmes chama atenção, assim como a recente acusação feita pelas autoridades dos Estados Unidos de que ela operou uma “fraude massiva” de mais de US$ 700 milhões.

Junto dela, a Securities and Exchange Comission (SEC), órgão responsável por regulamentar o mercado nos EUA, acusou também Ramesh “Sunny” Balwan, ex-presidente da startup. Segundo as autoridades, a dupla enganou investidores “por meio de uma longa e elaborada fraude na qual os dois realizaram declarações falsas ou exageradas sobre o desempenho financeiro, os negócios e a tecnologia da companhia”.

Ainda de acordo com a SEC, a companhia de Holmes utilizava equipamentos de outras empresas, e não material desenvolvido em seus próprios laboratórios, para realizar alguns testes, tudo sem informar os investidores. As mentiras envolviam também dados falsos sobre projeção de receitas e também sobre a regulamentação dos testes.

Elizabeth HolmesElizabeth Holmes foi acusada de operar uma fraude de mais de US$ 700 milhões.

A fraude, sempre segundo as autoridades dos EUA, consistia ainda em informações falsas repassadas aos investidores sobre testes supostamente conduzidos em parceria com empresas farmacêuticas: apenas um deles aconteceu desta forma, sendo que outros dois foram escritos por funcionários da startup. Esse aglutinado de mentiras e informações falsas resultou na arrecadação de US$ 700 milhões por parte da Theranos junto aos investidores.

Acordo

Para encerrar o caso, a firma selou um acordo com a SEC no qual Holmes deixa o comando e devolve milhões de ações da startup, paga uma multa de US$ 500 milhões e fica proibida, por um período de 10 anos, de exercer cargos de diretora ou executiva em companhias de capital aberto.

O órgão regulamentador do mercado nos Estados Unidos informou que Balwani não aceitou o acordo e a acusação contra ele será levada até uma corte federal em San Francisco.