Se você é fã de futebol, um dos esportes mais populares do mundo, já deve ter ouvido falar da tecnologia VAR. Trata-se dos árbitros assistentes de vídeo, criados para ajudar a evitar mal-entendidos durante as partidas. Depois de muito tempo, essa arbitragem finalmente foi aceita — pelo menos, é o que as últimas ações da Associação Internacional de Futebol indicam. Agora, a organização aprovou o uso de árbitros com VAR no futebol. 

A decisão foi tomada após uma reunião realizada em Zurique, na Suíça. Tanto a FIFA quanto a Associação Internacional de Futebol aceitaram a sugestão sem problemas; o presidente da FIFA declarou que o vídeo se tornou parte do esporte e, depois de décadas, finalmente chegou o momento de começar a utilizá-lo nas partidas. 

1

Contudo, a FIFA deixou algumas recomendações bem claras aos árbitros de campo quando o assunto é o VAR. Basicamente, a tecnologia só pode ser utilizada quando tiver ocorrido algum erro claro, e não em situações que abrem margem para dúvidas. Assim, o VAR só pode ser utilizado quatro momentos bem específicos: marcações de gol, pênaltis, dúvidas e erros na identificação dos jogadores e cartões vermelhos.

2

É claro que houve certa resistência com a novidade, uma vez que o ex-presidente da FIFA, por exemplo, acredita que a tecnologia pode acabar desvirtuando o futebol, e há quem diga que pode até mesmo deixar o ritmo das partidas um pouco mais lento. Para essas e outras críticas, foram realizados testes que mostraram resultados bem positivos: o VAR possui uma média de tempo perdido que equivale a menos de 1% do tempo total do jogo e acertou em 98,9% dos lances revisados. Quando era preciso rever algum lance da partida, eram necessários 20 segundos. Nada mal, né?