Você o conhece de pérolas da pancadaria dos anos 80 e 90, como “Nico: Acima da Lei”, “Difícil de Matar”, “A Força em Alerta”, entre outras, em que seu mote era “eu não mato, imobilizo”. Agora, ele é o garoto-propaganda de uma nova aspirante a criptomoeda. Isso mesmo, Steven Seagal é o rostinho da Bitcoiin2Gen (com dois “is”).

Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos alerta para os casos de celebridades que vem endossando moedas digitais

“Como um professor budista, zen e curador, Steven vive pelos princípios de que o desenvolvimento do eu físico é essencial para proteger o homem espiritual. Ele acredita que o que ele faz em sua vida é levar as pessoas à contemplação para despertá-las e iluminá-las de alguma forma. Esses são, precisamente, os objetivos do Bitcoiin2Gen para capacitar a comunidade, fornecendo um sistema de pagamento P2P descentralizado, com sua própria carteira, ecossistema de mineração e plataforma robusta de blocos, sem a necessidade de terceiros.”

Mais trágica do que engraçada, essa é a descrição da nova e questionável moeda digital, que abriu sua Initial Coin Offering (ICO) — uma oferta inicial para angariar recursos — de forma inusitada e, digamos, sugestiva. Acompanhe a ilustração da própria documentação online da empresa, que, claro, virou até motivo de piada:

Brincadeiras à parte, vale destacar que a Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos vem alertando que: “Celebridades e outros estão usando redes de mídias sociais para incentivar o público a comprar ações e outros investimentos. Esses endossos podem ser ilegais se não divulgarem a natureza, a fonte e o montante de qualquer compensação paga, direta ou indiretamente, pela empresa, em troca do endosso”.

Ou seja, até que se prove o contrário, por enquanto a Bitcoiin2Gen opera em caráter bem duvidoso.