Dinheiro não traz felicidade. Ao menos, não necessariamente no trabalho. Um levantamento realizado com mais de 400 mil trabalhadores nos EUA aponta que planos de carreira e a gestão justa das promoções são os fatores que mais motivam as pessoas a trabalhar duro. Ter a chance de avançar na carreira faz com que as pessoas estejam duas vezes mais dispostas a se doarem no trabalho e planejarem um futuro de longo termo em suas companhias.

Tem mais! Um sistema que realmente premia o esforço é responsável por fazer com que os colaboradores acreditem (até cinco vezes mais) nas ações de seus líderes. A  pesquisa foi divulgada pela Harvard Business Review nesta semana. O levantamento foi realizado durante todo o ano de 2017 e contou com a participação de colaboradores das empresas do Top 100 de melhores lugares para trabalhar da Fortune.

O reconhecimento compensa

De acordo com os dados levantados pela HBR, a recompensa para esse tipo de liderança é impressionante: nessas empresas, os retornos de ações são quase três vezes a média do mercado, a rotatividade cai para metade quando comparada à dos concorrentes, e as métricas de inovação, produtividade e crescimento superam de forma consistente os rivais.

Entre as "top 100", 75% dos funcionários acreditam que as promoções são dadas para quem merece. Esse feedback pode parecer alto, mas é o terceiro mais baixo dos 58 itens avaliados. Ou seja, mesmo nesse ambiente, as promoções são um componente bastante subjetivo.

Isso acontece porque esse reconhecimento é, ao mesmo tempo, orientado por um relacionamento e um indicador importante de quão bem as ações dos líderes se alinham aos valores declarados da empresa. Uma promoção com processo sólido pode ajudar a descobrir potencial nos colaboradores, além de motivar a equipe.

Fica a dica: o que os líderes e as companhias dizem importa muito. Mas, para os colaboradores, o que eles fazem tem impacto ainda maior.