O CEO da Intel, Brian Krzanich, vendeu uma boa parte de seus papéis da companhia antes de informar ao público sobre a grave falha de segurança em seus chips. Uma reportagem do site britânico The Register revelou que uma vulnerabilidade atinge todos os processadores da marca ao logo dos últimos dez anos.

Em declaração ao Business Insider, um porta-voz da Intel afirmou que a companhia foi alertada pelo Google sobre o problema em junho de 2017. Isso significa que a empresa estava ciente da falha quando Krzanich vendeu US$ 24 milhões (cerca de R$ 77 milhões) em ações e opções (direitos de compra e venda de ações com preços e prazos pré-estabelecidos), em novembro do ano passado.

Brian Krzanich, CEO da IntelBrian Krzanich manteve apenas o mínimo de papéis da Intel para ficar no cargo

O problema deixaria áreas supostamente protegidas do kernel de um dispositivo vulneráveis. Com isso, programas maliciosos poderiam acessar informações sensíveis aos usuários, como logins e senhas.

O que diz a Intel

A empresa afirma que a venda do estoque de ações não está relacionada com essa vulnerabilidade. A Intel defende que a prática já era parte de um planejamento padrão de venda de ações.

Na época, a negociação dos papéis já havia assustado alguns analistas, porque o CEO da Intel manteve apenas 250 mil ações (ele tinha 495.743 papéis antes) da companhia. A quantidade é o mínimo exigido para que Krzanich mantivesse seu contrato de trabalho.

Até o fechamento dessa nota, as ações da companhia operam em baixa de 4,09% e são negociadas por US$ 43,99 (pouco mais de R$ 142) cada.

CEO da Intel vendeu milhões em ações antes de avisar sobre falha nos chips via The Brief

Cupons de desconto TecMundo: