De acordo com o CNET, o Spotify acaba de receber um processo bilionário de infração de direitos autorais pelas mãos da Wixen Music Publishing, uma empresa de licenciamento de músicas de nomes como Neil Young, The Doors e Tom Petty. Segundo a companhia, o serviço de músicas estaria utilizando diversas canções sem a devida licença de seus compositores; por isso, ela está pedindo uma indenização de nada menos do que 1,6 bilhão de dólares.

“Antes do lançamento, o Spotify fechou acordos com grandes companhias de discos para obter os direitos necessários aos direitos de gravação de som nas canções ao oferecer às maiores marcas, em muitos casos, participação acionária no Spotify. Mas o Spotify falhou em obter propriamente os direitos equivalentes para as composições”, explica o processo.

O Spotify construiu um negócio de bilhões de dólares nas costas de escritores de músicas e gravadoras cuja música o Spotify está usando

“Como resultado, o Spotify construiu um negócio de bilhões de dólares nas costas de escritores de músicas e gravadoras cuja música o Spotify está usando, em muitos casos sem a obtenção e o pagamento para as licenças necessárias”, continua a declaração.

Vale lembrar, por fim, que apenas alguns meses atrás o Spotify já havia levado um processo semelhante, e que o serviço já tem, desde 2015, um fundo dedicado a pagar os devidos royalties aos cantores. Mas, pelo visto, parece que isso não vai ajudar a companhia desta vez.

Cupons de desconto TecMundo: