Nem dá para dizer que o bitcoin é a moeda do futuro, afinal ela já registra feitos incríveis agora mesmo, no presente. Mais um exemplo disso é o seu último recorde de valorização alcançado na noite deste domingo (19), quando a criptomoeda ultrapassou a barreira dos US$ 8 mil e chegou a ser negociada a US$ 8.101,91 a unidade.

No início desta segunda-feira (20), a moeda que foi chamada de fraudulenta pelo presidente do JP Morgan diminuiu a sua cotação, mas ainda assim permaneceu acima dos US$ 8 mil. O mais curioso é que ela sofria uma queda significativa há cerca de uma semana, quando um grande volume de bitcoin foi comercializado e reduziu o seu valor para algo em torno de US$ 5,5 mil.

BitcoinBitcoin volta a bater recorde e é comercializado a mais de US$ 8 mil.

A desvalorização teve como origem também uma proposta de upgrade na rede bitcoin. Inicialmente planejada para o dia 16 de novembro, a sua execução teria resultado em um evento conhecido como hard fork, com a criação de uma nova versão da criptomoeda. Entretanto, a mudança foi cancelada e isso voltou a dar forças para a valorização do bitcoin.

De acordo com a CNBC, a valorização veio graças a pelo menos dois motivos. Um deles é a regulamentação da criptomoeda no Japão, indo na contramão de outros países asiáticos, como Coreia do Sul e China, que vem fechando o cerco em torno do bitcoin. Outro, foi o interesse de investidores como o CME Group também pode ter contribuído para elevar o preço da moeda.

Ainda no último mês, as previsões eram de que o bitcoin ultrapassasse o valor dos US$ 8 mil até o fim de novembro.

Cupons de desconto TecMundo: