Criptomoedas como a Bitcoin vem sendo adotadas em nível global e aos poucos as instituições oficiais também começam a se adequar aos novos parâmetros, estruturas e transações. Contudo, ainda há muito receio do próprio mercado com relação à novidade. O Banco Central voltou a reforçar o alerta sobre o acúmulo das moedas virtuais, que não possuem lastro ou ativos reais.

Comércio já vem aceitando as Bitcoins como pagamento

“A compra e a guarda das denominadas moedas virtuais com finalidade especulativa estão sujeitas a riscos imponderáveis, incluindo, nesse caso, a possibilidade de perda de todo o capital investido, além da típica variação de seu preço. O armazenamento das moedas virtuais também apresenta o risco de o detentor desses ativos sofrer perdas patrimoniais”, alerta a instituição, em comunicado oficial publicado nesta quinta-feira (16).

O BC teme por uma bolha financeira, ideia que vem sendo afastada aos poucos com a participação de novas opções de produtos, além de bancos e corretoras que atuam no cenário tradicional. A corrida acontece porque somente neste ano a Bitcoin subiu 683% e tornou-se referência no Nyse Bitcoin Index, negociado na Bolsa de Nova York.

Com a movimentação de outras alternativas na economia nacional, a exemplo da Litecoin e Ethereum, é bem possível que a adesão aumente, inclusive no comércio, que já vem aceitando os pagamentos em Bitcoin. Contudo, como diz a autarquia, ainda é preciso avaliar o contexto como um investimento de risco, pelo menos por enquanto, especialmente ele seu fim é especulativo.

Cupons de desconto TecMundo: