Pelo visto, parece que a Disney não está em um momento muito feliz com a justiça. De acordo com uma notícia veiculada no site Gizmodo, a empresa responsável por Mickey e companhia acabou infringindo uma lei que envolve a proteção da privacidade infantil ao permitir que companhias de tecnologia incluíssem alguns recursos em seus apps para obter informações pessoais das crianças.

Segundo dados que estão correndo a rede, isso vem acontecendo em jogos e aplicativos da Disney. Um desses exemplos é o de Disney Princess Palace Pets, no qual aparentemente essas empresas estariam obtendo dados como localização geográfica, histórico de navegação e uso do software. Esses dados são então vendidos para companhias com intuito de “facilitar publicidade comportamental ou análise de marketing”.

A Disney precisa fazer o que é certo para que seus games e aplicativos estejam de acordo com a lei

“Como uma companhia que está há muito tempo envolvida com a prática de promover o engajamento infantil – e lucrar com isso –, a Disney precisa fazer o que é certo para que seus games e aplicativos estejam de acordo com a lei. Eles e as companhias com as quais estão trabalhando [a saber, Upsight, Unity e Kochava] sempre precisam ter o consentimento dos pais antes de extrair dados das crianças que estão nos celulares enquanto se divertem com os aplicativos da Disney”, disse Michael Sobol, um dos advogados envolvidos no caso.

Disney Princess Palace Pets

E tem alguma vítima nessa história? Pelo visto sim

No documento da ação, Amanda Rushing menciona que dados de sua filha foram coletados sem que ela tivesse conhecimento disso, além de ressaltar que nem a Disney ou uma das empresas com a qual está trabalhando incluiu um mecanismo forçando a criança a procurar os pais para que eles informassem se desejam ou não divulgar esses dados.

Procurada pela equipe do site Gizmodo, um funcionário da divisão de produtos da Disney se recusou a comentar sobre o assunto.

Cupons de desconto TecMundo: