Componentes estão ficando mais caros por conta da crise do PC (Fonte da imagem: Divulgação/Corsair)

Quando os preços de componentes eletrônicos sobem no Brasil, as pessoas não acham mais surpresa alguma. Afinal, tudo o que é importado para cá enfrenta barreiras comerciais e o que é produzido aqui está sempre com altas margens de lucro para quem revende.

Contudo, em mercados em que a demanda e a concorrência são maiores, os preços costumam ser mais estáveis e seguir uma escala de queda com o passar do tempo, o que não é diferente para o mercado de RAM. Esses componentes só ficam realmente caros quando são razoavelmente raros.

Entretanto, o ExtremeTech reportou que os preços na terra do Tio Sam têm subido bastante no último ano, em vez de caírem, para peças mais comuns de RAM. Entre dois ou três meses, memórias de marcas famosas como Corsair e Kingston subiram cerca de US$ 20. No acumulado do ano, uma memória da Corsair de 16 GB DDR3-1600 subiu de US$ 67 para US$ 150 — isso na média do mercado dos EUA.

Dois pontos

O site especula que pode haver duas razões principais para o aumento dos preços dessa forma rápida para os padrões norte-americanos. A primeira seria o estoque baixo das fabricantes e distribuidoras, que ficou ainda mais crítico com o incêndio na linha de produção de memórias da Hynix, uma grande fabricante coreana de semicondutores.

Além disso, os “maus presságios” para o mercado de PCs ao redor do globo estariam fazendo as empresas desacelerarem a produção de RAM. Assim, caso as vendas de peças acompanhem mais de perto da diminuição do mercado de PCs, não haveria um grande prejuízo com estoque em liquidação. Assim, globalmente, o preços têm subido.

Nos EUA, a situação não está muito favorável para os consumidores que pretendem comprar memórias RAM, mas e aqui no Brasil? Se você tem acompanhado o desenrolar dos preços desses equipamentos em nosso mercado, dê a sua opinião nos comentários e assim poderemos fazer uma comparação mais fiel.

Cupons de desconto TecMundo: