Você nem precisa ser muito assíduo em redes sociais para, frequentemente, ser bombardeado com os memes do momento. O que você talvez não tenha reparado, embora veja essas imagens constantemente, é que a fonte utilizada para os textos que a maioria delas ilustram é sempre a mesma. Por que será?

O Vox respondeu a essa pergunta e, de quebra, nos ensinou algumas coisas bastante interessantes sobre design, marketing e tecnologia. De acordo com a publicação, tudo começou em 1965, bem antes de qualquer noção de meme existir. A fonte em questão se chama Impact e foi criada por Geoff Lee, que, à época, utilizou moldes metálicos para criar cada letra à mão.

O diferencial da Impact era justamente a sua legibilidade, especialmente quando a fonte era aplicada em cima de imagens – por ter linhas grossas, a leitura ficava simples, mesmo quando o plano de fundo não colaborava muito, esteticamente falando. A imagem abaixo, do folheto original, parece ou não parece um meme atual?

Desde o início, as letras da Impact foram feitas para dar essa ideia de destaque. A questão é que, no caso dos memes, não foi só isso que consagrou a fonte. Muito do sucesso dela tem a ver com a dissolução da empresa que encomendou esse estilo de letra: a Monotype, que é “apenas” uma das principais licenciadas da Microsoft.

Em 1996, a fonte passou a ser considerada fundamental para a web, em uma jogada da própria Microsoft, que buscava criar um pacote padronizado de fontes especialmente para a internet. Depois, quando a Impact passou a fazer parte do sistema operacional do Windows 98, não teve mais volta. Na concorrência, esse tipo de letra enfrentava o Arial Black e o odiado Comic Sans, que nunca chegaram a realmente ameaçar a preferência pela Impact, perfeita para ser lida sobre imagens.

Milhões de computadores tinham acesso à fonte e, como se não bastasse, ela já estava padronizada na web. Com a criação dos memes, a Impact mostrou a que veio, e se tornou unanimidade nesse sentido, mais especificamente a partir de 2003.

Daí para frente surgiram algumas tentativas de gourmetizar, digamos assim, a produção de memes, por meio de aplicativos como o Super e de sites como o Vox Product. Nesse ponto, aconteceu uma espécie de “Inception”: a fonte dos memes tinha se tornado tão viral quanto os memes em si, de modo que mudar esse padrão já não é nada aconselhável. Ponto para Geoff Lee e seus moldes manuais.

Agora digamos que você tivesse o poder de mudar esse padrão, que fonte escolheria? Comente no Fórum do Mega Curioso

Via Mega Curioso.

Cupons de desconto TecMundo: