(Fonte da imagem: Reprodução/RT)

O sempre controverso Kim Dotcom se manifestou recentemente sobre o que considera uma “idade das trevas da espionagem” na Nova Zelândia. No estilo esfuziante de sempre, Dotcom alertou o país para “não seguir os passos dos EUA”.

Naturalmente, o fundador do Megaupload fez menção à investigação ilegal conduzida pelo governo neozelandês a serviço dos EUA. A Nova Zelândia seria um dos membros da aliança de espionagem liderada por Washington.

“Deveríamos evitar seguir cegamente os Estados Unidos na idade das trevas da espionagem”, disse Dotcom, mirando diretamente no projeto de lei que pretende conferir poderes ao Departamento de Comunicação e Segurança da Nova Zelândia (GSCB), de forma que seja possível monitorar livremente os cidadãos. Dotcom acrescenta que isso facilitaria o controle dos EUA sobre o país.

Investigação ilegal

Kim Dotcom foi investigado no ano passado pela GCSB. O órgão forneceu ilegalmente informações sobre o empresário — que é de nacionalidade alemã e tem residência na Nova Zelândia — aos EUA. Após o episódio, seguiu-se a incursão cinematográfica à casa de Dotcom, em janeiro do ano passado.

Posteriormente, um tribunal decidiu que também a invasão da casa do empreendedor havia sido feita ilegalmente. Dotcom e seus colaboradores foram presos sob acusação de pirataria, lavagem de dinheiro e extorsão pelo governo dos EUA. Embora tenham sido libertados sob fiança, o grupo ainda tem seus movimentos restritos.

Quanto ao governo da neozelandês, não há ainda nenhum comentário sobre uma possível associação entre a GCSB e a NSA (Agência de Segurança Nacional, na sigla em inglês).

Cupons de desconto TecMundo: