(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo)

Atualmente, corações artificiais já são uma realidade — por mais que aparelhos desse tipo não sejam tão comuns, eles devem ser utilizados em larga escala em humanos em um futuro próximo. No entanto, é claro que esses dispositivos nem sempre contaram com a mesma aparência de hoje em dia, assim como não eram tão eficientes na hora de salvar vidas.

Para você ter uma ideia melhor, observe a imagem que está no topo desta notícia. Apesar de parecer um carrinho de cachorro-quente de rua, a máquina retratada é considerada o primeiro coração artificial de todo o mundo. O nome do dispositivo é “Mayo-Gibbon heart lung machine”, sendo que ele foi feito em 1957 e era realmente enorme.

E ainda realizava mais de um trabalho...

A função, como você já deve imaginar, era a de auxiliar no funcionamento do organismo de pacientes em uma situação considerada grave. Por conta disso, a máquina ficava ligada ao corpo da pessoa e ajudava o coração ou o pulmão a trabalhar da maneira correta, bombeando o sangue ou realizando a respiração até que o doente pudesse fazer isso sozinho.

Hoje em dia, o “Mayo-Gibbon” está sendo mantido no Instituto Smithsonian, do Museu Nacional de História Natural dos Estados Unidos. Contudo, ele é apenas guardado, já que a máquina não está em exposição — ou seja, mesmo que você pague a entrada e circule dentro do local, não vai encontrar o primeiro coração artificial do mundo.

Dessa maneira, caso você queira conferir um pouco mais deste coração enorme, é necessário realizar uma espécie de tour virtual. Ao clicar neste link, você vai acessar a página do Instituto Smithsonian em que há diversas fotos da máquina, além de informações adicionais, como os materiais envolvidos na produção do dispositivo.

Cupons de desconto TecMundo: