Uma biomédica brasileira está ganhando cada vez mais destaque internacional por conta de um dispositivo de diagnóstico do câncer. Deborah Zanforlin, professora e pesquisadora da Faculdade Boa Viagem (FBV|DeVry), no Recife, está até de malas prontas para mostrar a inovação nos Estados Unidos.

O dispositivo ConquerX é um chip biossensor que ajuda a detectar precocemente até 18 tipos de câncer em estágio inicial a partir de um simples teste no sangue do paciente. O resultado sai em apenas 15 minutos e já pode levar alguém ao tratamento da doença em estágio inicial, o que aumenta bastante as chances de cura.

De forma bastante resumida, o sensor é capaz de detectar e mapear marcadores sanguíneos que só as células cancerígenas emitem. O equipamento ainda tem outras vantagens: não libera radiação, é portátil e permite a realização de uma segunda bateria de testes de seis em seis meses.

O equipamento portátil de diagnóstico.

Sucesso pela frente

Atualmente, Deborah trabalha na papelada a ser enviada para órgãos como a à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para que o chip tenha chances de ser produzido e disseminado. 

A biomédica brasileira (na esquerda da foto) vai apresentar o ConquerX internacionalmente.

A biomédica também vai para Stanford apresentar o chip na BioSciKin, uma competição internacional de projetos da área. A categoria em que ela concorre é a "Life Science".

Cupons de desconto TecMundo: