Em janeiro deste ano, a AMD apresentou a tecnologia Lightning Bolt. Trata-se de uma novidade que promete suporte para múltiplos monitores com resolução de alta definição e expansão de funcionalidades através de outros periféricos — parecido com o que faz a Thunderbolt, da Intel.

Essencialmente, a diferença entre essas duas tecnologias está na conexão, no desempenho e no custo. Mas será que a aposta da AMD consegue fazer frente à concorrente? Hoje, vamos explicar um pouco mais sobre esta conexão e avaliar se ela tem alguma chance de sucesso.

A Intel sai na frente

A tecnologia Thunderbolt proposta pela Intel é uma tentativa de substituir a USB 3.0. A diferença está na velocidade oferecida, que pode chegar ao dobro, e nas funcionalidades. O foco desta conexão é oferecer alto desempenho para placas de captura, placas de vídeo, dispositivos de armazenamento e monitores de altíssima definição.

(Fonte da imagem: Divulgação/Intel)

Basicamente, a fabricante propôs um novo tipo de conexão. Por ora, algumas companhias já adotaram o padrão. Entre as poucas está a Apple, que lançou a atual linha de computadores com a nova conexão e monitores Thunderbolt. Por se tratar de uma novidade pouco difundida e cara, ela não vem apresentando muito sucesso — como ocorreu com o FireWire.

O plano da AMD

Apesar de a Intel não restringir o Thunderbolt para uso exclusivo em seus processadores, a AMD não aceitou se rebaixar e utilizar a tecnologia da concorrente. Dessa forma, a fabricante investiu em uma alternativa de baixo custo e deveras interessante.

A Lightning Bolt não é uma novidade que vem para estabelecer um novo padrão de conexão ou para competir com a USB 3.0. Entretanto, é uma tecnologia que pretende oferecer uma expansão similar à da concorrente.

(Fonte da imagem: Reprodução/AMD)

Basicamente, a AMD propõe o uso de uma USB 3.0, de uma DisplayPort 1.2 e de uma fonte de energia externa para alimentar um dock. Neste dispositivo, é possível conectar diversos periféricos e ampliar as funcionalidades do computador.

Uma tecnologia mais fraca...

Apesar de parecer uma ideia genial, a tecnologia da AMD não oferece a mesma qualidade que a da concorrente. Enquanto a Thunderbolt garante taxas de transferência de até 10 Gbps, a novidade da AMD pode, no máximo, alcançar a velocidade de uma USB 3.0, ou seja, 5 Gbps.

Contudo, é importante frisar que na prática a Lightning Bolt não deve alcançar tal patamar. Segundo informação do site Hardware, o controlador (um chip para ativação do recurso) reserva parte da banda para a utilização dos displays, o que resulta num padrão USB 2.5.

(Fonte da imagem: Reprodução/AMD)

Resultado? Como informa o site The Verge, essa limitação permite utilizar apenas dois monitores com resolução Full HD (1920x1080 pixels) ou até quatro displays com qualidade superior a HD (1366x768 pixels). Com a tecnologia da Intel, é possível utilizar até oito monitores em 720p ou conectar telas com resolução de 2560x1440 pixels.

Baixo custo é importante

Por aproveitar conexões que já estão disponíveis nos notebooks, a tecnologia da AMD não tem problemas quanto ao custo de produção. Na realidade, o chip do muxer  que essa novidade exige custa apenas um dólar, como informa o site Hardware.

Em contrapartida, a Thunderbolt exige um investimento elevado em componentes. O controlador mais avançado da Intel pode custar até 30 dólares. Poucas fabricantes estão cogitando investir nela por conta desse gasto, visto que a tecnologia encarece os computadores e pode ser algo que não desperte o interesse do público, ou seja, não existirá retorno.

Uma aposta incerta

Moral da história? Alguns especialistas mais ousados sugerem que a tecnologia da Intel pode ser mais uma FireWire sem grandes perspectivas. Existe a possibilidade de que tal novidade realmente não seja muito aceita, visto que o investimento em hardware não é compensador.

(Fonte da imagem: Divulgação/Apple)

Por outro lado, a aposta da AMD é mais lenta, porém, custa menos. Isso quer dizer que as fabricantes que embarcarem nessa ideia não vão levar um tombo muito grande. As pessoas que adquirirem computadores com tal tecnologia também não vão ter muito a perder, afinal, o computador não traz uma conexão que ficará inutilizada.

Enfim, tanto a tecnologia da Intel quanto a da AMD estão dando seus primeiros passos, e pode ser muito cedo para arriscar palpites. A verdade é que poucas companhias estão apostando nelas, pois grande parte dos consumidores está satisfeita com as portas HDMI, Mini DisplayPort, USB 3.0 e até mesmo com a antiga VGA. O que você acha dessas novidades?

Fontes de pesquisa: Hardware, The Verge

Cupons de desconto TecMundo: