O futuro da humanidade é incerto, mas, no que depender da tecnologia, a palavra “smart”, ou simplesmente “inteligente”, será integrada a absolutamente todos os produtos. Celulares, televisores, óculos e até mesmo geladeiras que tenham o recurso não são novidades. Lentes de contato inteligentes também não, e a Google foi esperta ao patentear um modelo que funciona com luz solar, é capaz de acessar informações sobre o ambiente ao redor do usuário e se comunica com dispositivos móveis.

O grande diferencial dessas lentes, na verdade, é o fato de elas funcionarem por meio de luz solar. EUm dos maiores desafios de se criar um produto vestível é a capacidade de torná-lo pequeno e funcional. Ao registrar o domínio dessas lentes, a Google precisa superar uma série de obstáculos que a tecnologia atual ainda impõe.

A patente, catalogada no último dia 13 na base de dados dos EUA, descreve um produto que tem sensores autorrecarregáveis e um microprocessador com tecnologia de “sinais ópticos” – essencialmente células solares – que seriam capazes de armazenar poder por meio da luz do sol. A concepção foi esboçada em imagem:

E o que as lentes inteligentes poderiam fazer na prática?

Até aqui, a teoria é linda. Mas as informações sobre o que exatamente as lentes seriam capazes de fazer ainda são vagas. O uso básico é aquele já mencionado no início desta matéria: permitir que o usuário “analise” o ambiente ao seu redor e identifique onde há poluentes, substâncias que causam alergia e materiais tóxicos no ar. Com isso, o dono das lentes poderia se desviar de tais elementos e seguir uma rota, em teoria, “segura”.

Além de traçar o ambiente, as lentes seriam capazes de monitorar os batimentos cardíacos do usuário com base em informações referentes à temperatura do corpo ou o nível de álcool no sangue. Em um display separado, visto diretamente de um dos seus olhos, você consegue visualizar essa informação. Parece mão na roda aos que quiserem despistar uma blitz da Lei Seca.

Alguém aí se lembrou de HoloLens?

Até podemos traçar um paralelo entre as lentes inteligentes patenteadas pela Google e o HoloLens, tecnologia de realidade aumentada da Microsoft. Ambos permitem que o usuário visualize elementos em holograma, mas com intensidades e escalas diferentes.

No caso das lentes, seria interessante, por exemplo, caminhar por uma loja e saber as informações referentes a cada produto – inclusive preço – só de olhar para ele e ativar algum comando. A imaginação corre solta com a tecnologia, mas levanta dúvidas: e se você não estiver sob o sol? Como funciona essa dependência? Como as lentes distinguem um objeto do outro? Enfim, são questões que o mundo atual ainda não consegue responder.

O que você achou das lentes inteligentes, que funcionam por luz solar, patenteadas pela Google? Comente no Fórum do TecMundo.

Cupons de desconto TecMundo: