A corporação chinesa Lenovo publicou hoje o seu mais recente resultado fiscal referente ao trimestre que terminou em 30 de setembro. A empresa teve um prejuízo operacional de US$ 784 milhões por conta dos pesados investimentos em reestruturação e alinhamento do seu próprio negócio de smartphones com o da recém-adquirida Motorola.

Contudo, a empresa comenta que, nos próximos dois trimestres, haverá uma economia de pelo menos US$ 650 milhões em decorrência dessas mudanças, o que inclui a demissão de milhares de funcionários ao redor do globo que já foram feitas. A receita total da Lenovo nos últimos três meses, entretanto, cresceu 16% em relação ao ano passado, batendo a marca dos US$ 12,2 bilhões.

A empresa explicou que, apesar do encolhimento do mercado de PCs, tem conseguido lucrar e aumentar a sua partição nesse segmento para 21% de todas as vendas globais no período analisado, sendo, portanto, a líder nessa área.

Divisão Mobile

No mercado de smartphones, apesar das perdas geradas pela reestruturação, a Lenovo tem ido bem. Foram US$ 2,7 bilhões em vendas de produtos das marcas Lenovo (US$ 1,3 bilhão) e Motorola (US$ 1,4 bilhão), um aumento de 104% em relação ao mesmo período do ano passado.

Esses números não incluem os lançamentos mais recentes, como Moto X Force/Droid Turbo 2, Moto 360 2ªG e Vibe P1, mas já pegam o início das vendas dos Moto X Style, X Play e G 3ªG. A marca ainda comentou que está focando seus esforços no mercado estrangeiro em vez de em sua terra-natal, a China, o que tem rendido bons resultados.

Há um ano, o mercado da Lenovo/Motorola fora da China representava apenas 19% do total de vendas da divisão mobile da corporação. Neste ano, já representa 70%, especialmente pelo crescimento da empresa em mercados como Indonésia, Rússia, Índia e Brasil. Com os resultados, a companhia é 3ª que mais vende aparelhos mobile em todo o mundo.

As expectativas do setor financeiro da Lenovo são de um próximo trimestre positivo, recuperando as perdas desse último período.

Cupons de desconto TecMundo: