A Lenovo informou nesta quinta-feira (30) que concluiu oficialmente a compra da Motorola junto à Google, um negócio no valor de US$ 2,91 bilhões (sendo US$ 660 milhões em dinheiro, US$ 750 milhões em ações da Lenovo e US$ 1,5 bilhões em notas promissórias a serem pagas ao longos dos próximos três anos).

Em comunicado à imprensa, a Lenovo informou que, inicialmente, nada deve mudar no portfolio de produtos da Motorola. Os aparelhos continuarão a ser lançados mantendo a mesma estratégia que a companhia utilizou até agora, respeitando inclusive acordos para que o software utilizado nos smartphones seja o mais “puro” possível.

Todos os 3,5 mil funcionários da companhia passam a responder à matriz chinesa, mas inicialmente não haverá demissões e mudanças na estrutura da companhia – o HQ da Motorola, situado na cidade de Chicago, permanecerá sendo a sede global da empresa. Juntas, as companhias esperam vender mais de 100 milhões de smartphones por ano.

Para o futuro, a Lenovo espera otimizar as linhas de pesquisa e desenvolvimento das duas empresas, bem como unificar os canais de distribuição e os meios de fabricação de componentes visando diminuir os custos de produção e operação. Em termos de estratégia para o consumidor final, em especial nos EUA e a na América Latina, nada deve mudar.

Cupons de desconto TecMundo: