O Super Bowl é o principal jogo do campeonato da NFL (National Football League), liga de futebol americano dos EUA. O mundo volta os olhos para este momento, já que ele decide qual equipe será a campeã da liga — além de haver shows e intervalos comerciais recheados de novidades do entretenimento.

Neste ano, o jogo acontecerá no University of Phoenix Stadium. Com capacidade ampliada para mais de 70 mil pessoas, é necessária uma iluminação robusta para que os torcedores acompanhem todos os lances. Então, as mais de 780 luminárias de iodeto metálicos foram substituídas por 44.928 lâmpadas LEDs Cree XLmap MK-R.

Todos estes números podem assustar e criar uma ideia de que a energia drenada para gerar luz será imensa. Contudo, de acordo com a empresa fornecedora Cree and Ephesus Lighting, são necessários apenas 310 mil watts de energia para os LEDs brilharem. As luminárias antigas puxavam mais de 1,24 milhão de watts — 75% a mais.

As vantagens não acabam por aí. Os LEDs funcionam na potência máxima assim que são ligados e podem iluminar o dobro de espaço. Enquanto isso, as luminárias de iodeto levam um tempo significativo para isso — no Super Bowl de 2013, um apagão deixou o estádio às escuras, e as luzes demoraram mais de meia hora para voltarem com força total.

Cupons de desconto TecMundo: