(Fonte da imagem: Reprodução/construindominhacasa)

Você certamente já ouviu falar das lâmpadas LED, não é mesmo? O nome é uma sigla para Light Emitting Diode — o quer dizer que elas trabalham com diodo emitindo luz. E, apesar de a tecnologia não ser assim tão nova, nem todos sabem como utilizá-las ou conhecem todas as vantagens desses “pontinhos” de luz.

Por conta disso, o Tecmundo elaborou este artigo, com o objetivo de fornecer algumas dicas e mostrar como o LED pode ser útil na sua casa. Para começar, saiba que essas lâmpadas podem economizar de 75 até 95% da energia que é consumida por outros tipos de componentes, resultando em uma conta de luz mais baixa.

As vantagens e as desvantagens

Outra grande qualidade das lâmpadas LED é o fato de que elas podem ser encontradas em tamanhos bem reduzidos, de forma que é possível iluminar ambientes pequenos — como o fundo do armário, por exemplo. Além disso, o tempo de vida desses componentes é bem alto, chegando perto dos 10 anos.

Apesar de todas essas vantagens, a tecnologia LED apresenta uma desvantagem bem considerável: a reprodução de cor. Como a média é menor do que as de lâmpadas incandescentes ou flosflorescentes, essa “novidade” não é indicada para iluminar ambientes inteiros, pois podem resultar em dor de cabeça ou simplesmente em um local incômodo e que não atende às suas necessidades — o caso de um escritório, por exemplo.

E onde posso usar?

Levando em consideração os pontos positivos e negativos, os LEDs são melhores aproveitados em ambientes externos, em que a exatidão de cores não é tão necessária. Outra indicação é em espaços pequenos, já que essa tecnologia não gera calor, como em áreas abaixo de escadas ou fundo de gavetas grandes.

Além disso, você também pode utilizar esse tipo de lâmpada para dar um ar especial para a sua sala ou quarto, por exemplo. Escolhendo luzes mais quentes (que tendem a ser amareladas), é possível fazer com que o cômodo fique mais confortável para jantares ou para deixar aquela pessoa importante mais confortável.

E ainda tem a Philips Hue...

(Fonte da imagem: Reprodução/Amazon)

Apesar de a reprodução de cor do LED ainda não ser a ideal, essa característica está melhorando e chegando perto do que é apresentado pelas lâmpadas incandescentes. Um exemplo dessa evolução é a Philips Hue — que, em uma explicação simples e breve, é um conjunto de lâmpadas de diodo emissor de luz.

O grande diferencial é que você controlar o aparelho através do seu smartphone. Utilizando um aplicativo é possível se comunicar com a central do pequeno sistema, regulando a intensidade da luz de acordo com a suas necessidades — o que é algo bastante útil e até mesmo divertido.

Por conta disso, você pode utilizar quatro níveis de luminosidade diferentes. O primeiro é o Relax, em que a luz é bem leve e relaxante. Já a Concentrate tem um foco concentrado e mantém a pessoa alerta, enquanto o Energize ilumina bem o ambiente, dando a ideia de energia. Por último, há o Reading que oferece uma luminosidade intermediária para leitura.

Caso você esteja interessado, clique aqui para saber mais.