Pesquisadores norte-americanos desenvolveram um laser capaz de detectar substâncias químicas a uma distância de 1 quilômetro. O estudo foi publicado no periódico científico Proceedings of the National Academy of Sciences.

A técnica permite a identificação de ameaças químicas a partir de uma distância segura e tem grande potencial militar. Além de poder ser aplicada para mapear áreas minadas, a invenção pode ajudar a localizar drogas. Utilizado a partir de um avião, o laser pode vasculhar áreas extensas e determinar exatamente onde estão os compostos desejados. Em entrevista ao site The Verge, o pesquisador Vladislav Yakovlev afirmou que a descoberta pode inclusive ser utilizada em futuras missões espaciais em Marte para buscar elementos específicos.

Mudança de cor do laser permite detecção de substâncias

Os cientistas usaram a espectroscopia Raman, fenômeno físico que faz com que um material vibre quando atravessado por um feixe de luz. A vibração ocorre em um nível específico referente às moléculas contidas no material. A dispersão da luz ocasiona uma mudança de cor na porção do laser que atinge o alvo desejado.

A cor varia conforme o composto químico buscado. Isso permite que os pesquisadores diferenciem substâncias visualmente parecidas, como nitrato de amônio e nitrato de sódio, por exemplo, ambas usadas para a produção de bombas.

Por enquanto, todo o sistema pode ser montado por aproximadamente US$ 30 mil, cerca de R$ 68.300. Entretanto, a técnica ainda precisa ser aprimorada. Os pesquisadores têm que identificar quais condições são ótimas para irradiação e ainda precisam se certificar de que o laser consiga detectar compostos químicos com maior precisão. Quanto a possíveis danos para a saúde humana, os cientistas dizem que o único impacto negativo em potencial é na visão, mas isso pode ser evitado com o uso de óculos de proteção.

Cupons de desconto TecMundo: