Um dos dois campos de teste do laser. (Fonte da imagem: Reprodução/Physorg)

A ciência norte-americana conquistou outra quebra de recorde para seu currículo: o de laser mais potente do mundo. O feito foi realizado no National Ignition Facility, na Califórnia, na última quinta-feira (15). Formado por 192 raios menores, o feixe alcançou 2,03 megajoules, um recorde absoluto na área.

O procedimento é complicado: um único disparo é dividido em 48 feixes, que se separam e são amplificados por espelhos em quatro vezes, até atingirem uma potência satisfatória. Eles então viram os tais 192 raios menores e são espalhados pelo local de testes, que mede cerca de 300 metros de comprimento. Uma ampliação final faz com que os 2,03 megajoules sejam atingidos.

A expectativa era de que o aparelho não disparasse um laser mais forte que 1,8 megajoules – o que já seria um recorde por si só. O desempenho do equipamento foi tão bom que foi possível utilizá-lo novamente depois de apenas 36 horas, atingindo o mesmo resultado.

Segundo o Physorg, o tiro foi apenas demonstrativo e não atingiu nenhum alvo específico, mas a ideia é utilizá-lo para ocasionar uma fusão nuclear em uma célula-combustível de hidrogênio comprimido – e gerar ainda mais energia do que a que foi gasta para o disparo.

Cupons de desconto TecMundo: