Team Fortress 2 foi lançado em 2007, mas ainda hoje é um jogo extremamente divertido e com uma base apaixonada de fãs. Embora o lado competitivo dele seja um pouco mais modesto aos grandes eSports, a Valve mostrou interesse em montar uma estrutura aos jogadores para que eles possam treinar e competir. Para isso, ela já está estudando e implementado um sistema de filas competitivas ao game, similares aos que já existem em Counter-Strike: Global Offensive e DotA 2.

As notícias vieram do site especializado Teamfortress.tv, e também foram apresentadas pelos jornalistas do Daily Dot. Segundo eles, a Valve entrou em contato com jogadores de alto nível e representantes da comunidade para discutir novidades para o jogo, e inevitavelmente as propostas caíram em cima de mais suportes ao cenário competitivo. Para a surpresa dos profissionais, a Valve concordou com todas as propostas e prometeu entregar “logo” todos os pedidos da comunidade.

Embora a previsão possa parecer genérica e incerta, os fãs de Team Fortress 2 aceitaram com entusiasmo a resposta do estúdio. A proposta é entregar um sistema novo e completo para os jogadores entrarem rapidamente em partidas competitivas, conquistando posições cada vez mais altas no ranking. Só resta uma dúvida: com um game tão vasto e tão centrado na diversão, como a Valve fará isso?

O competitivo de Team Fortress 2

Atualmente, há dois modos competitivos de Team Fortress 2. O primeiro reúne duas equipes de seis jogadores com a possibilidade de repetir algumas funções, enquanto no segundo dois times de nove jogadores se enfrentam sem permitir repetições de classes.

Segundo a Valve, será mais fácil parear doze jogadores do que dezoito, sem falar que talvez a base de jogadores não suporte dois modos diferentes. É possível que o estúdio viabilize futuramente a entrada em dois tipos de filas diferentes, agradando ambos os modos.

Quanto aos mapas, a ideia ainda foi apresentada com muitas dúvidas. Há vários modos de disputa em Team Fortress 2, mas o mais competitivo, segundo os jogadores, é o “Control Point”. A Valve ainda está decidindo quais serão os formatos a serem usados, mas é bem possível que ela adote o padrão usado atualmente nas competições: vence o primeiro time que conquistar quatro rodadas.

E seria inevitável falar sobre os itens do jogo — chapéus, chapéus e mais chapéus. A principal discussão entre os jogadores e a Valve é quanto a possibilidade de banir certos equipamentos, principalmente aqueles que afetam drasticamente o desempenho do jogo. Embora isso caia em muitos outros quesitos, como o balanceamento geral do game, não há algo definido pelo estúdio nesse ponto... Ainda.

Outro ponto aberto seria na escolha de classes. Os modos competitivos atuais limitam, por exemplo, o uso de um médico ou "demoman" na equipe. Mas, depois de tantos anos com um competitivo limitado, a Valve mostrou interesse de soltar a criatividade dos jogadores — nem que isso signifique seis “pyros” correndo loucamente pelo mapa.

Ainda há muito espaço para discussão. A Valve aceitou a possibilidade e agora está definindo os pilares de um competitivo que foi definido pela própria comunidade. Isso é um bom sinal para os jogadores: há o potencial de Team Fortress 2 se tornar um eSport como os outros títulos famosos da empresa. Só resta saber, como os bons soldados com suas bazucas, o quão longe esse tiro levará os jogadores.

Via BJ

Cupons de desconto TecMundo: